segunda-feira, 24 de julho de 2017

Instituto da Mulher Negra do Piauí-AYABÁS, comemora o “JULHO DAS PRETAS” em homenagem ao Dia Internacional da Mulher Negra Latino-americana e Caribenha e Dia de Tereza de Benguela.

O Instituto da Mulher Negra do Piauí-AYABÁS, realiza uma vasta programação nesse mês de julho, em alusão ao 25 de Julho - Dia Internacional da Mulher Negra Latino-americana e Caribenha e Dia de Tereza de Benguela e da Mulher Negra. A programação integra o “JULHO DAS PRETAS”, realizada regionalmente através da Rede de Mulheres Negras do Nordeste, com o tema “Memória, Ancestralidade e Identidade: Trocas Intergeracionais”
O dia 25 de julho foi instituído pela ONU como o Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha durante o 1º Encontro de Mulheres Afro-latino-americanas e Afro-caribenhas, na República Dominicana, em 1992. A data foi escolhida como marco internacional da luta e resistência da mulher negra. Desde então, vários setores da sociedade atuam para consolidar e dar visibilidade a esta data, tendo em conta a condição de opressão de gênero, raça e etnia vivida pelas mulheres negras. No Brasil, o 25 de Julho foi instituído pela Lei 12.987 de 02/06/2014, como Dia Nacional de Tereza de Benguela e da Mulher Negra.
O objetivo da comemoração de 25 de julho é ampliar e fortalecer as organizações de mulheres negras, construir estratégias para a inserção de temáticas voltadas para o enfrentamento ao racismo, sexismo, discriminação, preconceito e demais desigualdades raciais e sociais. É um dia para ampliar parcerias, dar visibilidade à luta, às ações, promoção, valorização e debate sobre a identidade da mulher negra brasileira. Nesse sentido, as mulheres negras piauienses, através do AYABÁS, também se organizam e discutem suas problemáticas específicas, buscando atuar prioritariamente na formação das mulheres jovens negras, objetivando uma maior consciência de sua realidade, dos seus direitos e estratégias necessárias para superação das desigualdades existentes.
Estudos mostram que no Brasil as mulheres são maioria e representam 51,2% da população, sendo 46% delas pretas e pardas. Dados apontam que a mulher negra está na base da pirâmide social, com os piores salários, as colocações menos prestigiadas e sofrendo violências de toda ordem, inclusive física e sexual. Ainda de acordo com pesquisas, apesar de a mulher negra estudar mais que o homem negro, possui salários mais baixos. A combinação entre machismo e racismo vitima, cotidianamente, a mulher negra  que ganha menos que a mulher branca e menos que o homem negro. No Piauí, esse quadro não é diferente. No mundo capitalista onde a regra é acumular lucros explorando os trabalhadores e trabalhadoras, a melhoria de vida das mulheres negras só acontece através de sua luta e organização.
Por todos esses dados, é que o Instituto da Mulher Negra do Piauí, realiza uma programação reunindo as mulheres negras e o público em geral, para ampliar essas discussões e visibilizar a luta das mulheres negras piauienses/brasileiras. As atividades incluem Rodas de Diálogos, Oficinas, Palestras e a II Edição do Show “Elas Encantam”.

O “Julho das Pretas” no Piauí é realizado pelo AYABÁS – Instituto da Mulher Negra do Piauí e tem o apoio da Coordenadoria Estadual de Políticas paras as Mulheres-CEPM, Secretaria de Estado da Cultura(SECULT-PI)/Complexo Cultural Clube dos Diários e Secretaria Municipal de Politicas para as Mulheres de Teresina.

Data
Local
Horário
Abertura do Julho das Pretas em Campo Maior – Práticas Pedagógicas em diferentes cenários: as mulheres negras e os valores civilizatórios afro-brasileiros enquanto possibilidades pedagógicas e de troca de saberes.
05/07
UESPI – Campo Maior
14h
Abertura Oficial “Julho das Pretas”
- Ciranda das Pretas: Memórias e Experiências.
(Bate-papo com convidadas, música, poesias, petiscos, apresentações artísticas).
Convidadas: Profª. Jesus Diocesano – Del. Vilma Alves – Socióloga Lúcia Araújo.

07/07
Casa da Cultura/Teresina
16h.
Atividade com as Mulheres de Nazária/PI
(Palestra, Roda de Diálogos e Oficinas).
15/07
Povoado Altamira - Município de Nazária
15h às 18h.
Mulher Negra e Mídia
- Diálogos com jornalistas sobre a representação da Mulher Negra nos espaços midiáticos.
Convidadas: Jornalistas Edna Maciel – Gorete Gonzaga – Laura Learth – Vera Telma Alves.
    
19/07
Sala Torquato Neto/Teresina
16h
Atividade com Mulheres Negras Quilombolas de Piripiri/PI.
# Serão realizadas palestras e oficinas na Comunidade Quilombola de Sussuarana, envolvendo as comunidades quilombolas de Vaquejador e Marinheiro.
21/07
Comunidade Sussuarana – Município de Piripiri
9h às 15h
Atividade com Mulheres Negras de Barra Grande/PI (A definir!).
22/07
 A definir

Atividade com Mulheres Negras de Teresina
Manhã:
- Roda de Conversa: Memória, Ancestralidade e Identidade: Trocando Experiências Intergeracionais.
Convidadas: Profª. Dra. Assunção Sousa(UESPI), Carmem Ribeiro(Matizes), Lara Danuta(Ayabás) e Joelfa Farias(Ayabás).
- Exposição Lélia Gonzalez
Noite:
- Participação na Reabertura Oficial do Memorial Zumbi dos Palmares – Noite.
25/07
Memorial Zumbi dos Palmares
9h às 12h






19h
II Edição do Show “ ELAS ENCANTAM”
27/07
Espaço Osório Júnior
19h
Atividade com Mulheres Negras – Participação no Encrespa.
(Roda de Diálogos, Oficinas...)
28/07
Município de Amarante
10h às
17h.




segunda-feira, 21 de julho de 2014

Ayabás no Mundo!!!

Organization emphasizes growing concerns about the health of black women; thesis focuses on black woman’s ability to cope with the challenges posed by prejudice


Rate This


Black women's organization discusses the need to address specific health necessities of black women
Organization discusses the need to address specific health necessities of black women
Growing concerns about the health of black women in the state of Piauí (1)
Black women develop specific health problems, diseases are inherent to the genes of ethnicity, combined with racism
What’s different about the health of black women? It’s the first question when discussing the health and conditions of this parcel of the population.
For the president of the Instituto da Mulher Negra do Piauí (Black Women’s Institute of Piauí – Ayabás – Halda Regina, black women suffer at least two types of prejudice, racial and gender, where she considers that there is a significant difference between black and non-black women, especially in quality of physical and mental health.
Halda Regina of the Black Women’s Institute of Piauí - Ayabás
Halda Regina of the Black Women’s Institute of Piauí – Ayabás
“Obviously, this social difference directly affects the health of black women. We black women are prone to under high pressure, also because of our condition: unemployment, heads of households, social condition, difficulties in ascension, among others, besides the very violence suffered by black women in their work environment (harassment), terrible service in health, and at the time of pregnancy, when at the moment of delivery, according to the reports of some women, care for them is time consuming, because of the stigma that we are stronger and more resistant to pain.”
Improprieties such as these are ignored because of a false sense of equality, as the question that initiates this matter. Black women’s health is directly related to racism and especially the institutional type, still according to the president of Ayabás.
Black Women's Institute of Piauí – AYABÁS hosts the First State Seminar of Black Women and Health in June (Instituto da Mulher Negra do Piauí – AYABÁS, o I SEMINÁRIO ESTADUAL DE MULHERES NEGRAS E SAÚDE)
Black Women’s Institute of Piauí – AYABÁS hosts the First State Seminar of Black Women and Health in June (Instituto da Mulher Negra do Piauí – AYABÁS, o I SEMINÁRIO ESTADUAL DE MULHERES NEGRAS E SAÚDE)
“Many women need to impose themselves daily to combat racial and gender discrimination and to ensure to black women decent health care.”
Besides the institutional abandonment, there are risks of major physical illnesses in this population, such as hypertension, sickle cell anemia, cervical cancer, breast cancer, diabetes, pelvic inflammatory disease, systemic lupus erythematosus, myomas or fibroids.
Difficulties in health care
“One of the difficulties is to guide these women in order to denounce the practices of racial discrimination in health services and train health professionals on the topics of race, gender and health from the perspective of human rights,” says Halda Regina.
State of Piauí in northeastern Brazil
State of Piauí in northeastern Brazil
There are no public policies directed in Piauí or in Teresina (state capital), nor data on the health situation of black women in Piauí. What is known is that currently one of the main problems of women is the violence to which they are subjected, be it sexual or psychological aggression.
“At the national level there are policies for the black population, besides decrees which point to each state to create a technical committee of health of the black population, so that there is efficiency in actions for this purpose.
The creation within the Departments of Health to coordinate a team of equity, where the policy is located. Some booklets have been published by the Ministerio da Saúde (MS or Ministry of Health) along with the Secretaria Especial de Politicas de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR or Special Secretariat of Policies for the Promotion of Racial Equality). But many women continue dying for lack of care, training and information,” explains Halda Regina.
About creating of exclusive policies in Teresina, Councilwoman Rosário Bezerra, who has a great representation in this discussion within the capital, explains that there is still nothing specific, but that discussions have started.
“We’re conducting seminars with entities linking the health of black women to the development of specific projects, because there are racial specificities and diseases that take greater effect on black women. This woman is served in health facilities with another look.
She is not considered as she should and does not receive the attention she deserves. The diagnosis is not always thorough and queries are made more quickly than the others, without the same concern,” she emphasizes.
Afroresiliências and psychological health
Afroresiliência, a neologism created by the teacher and psychologist Luciênia Martins in the development of her doctoral thesis Afrorresilientes: a resiliência de mulheres afrodescendentes de sucesso educacional (Afro-resilience: the resilience of African descendant women of educational success), having as the principal problem the black woman’s ability to cope with the challenges posed by prejudice.
“To study resiliency in women of African descent is an attempt to systematically meet the psychological factors that promote the overcoming situations of adversity. According to figures from the IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística or Brazilian Institute of Geography and Statistics), these obstacles are not few.
Afroresiliência explores a relevant topic and recent area of Psicologia Positiva (Positive Psychology), focused on the perspective of women of African descent in Teresina. “Although not known to many, resilience is experienced in one form or another, by each of us,” explains the researcher Lucienia Martins.
The psychological factor is another important point of discussion about women’s health in the black population. Besides socioeconomic conditions, greater propensity to disorders of a genetic order, imposed violence gradually affects mental health. The psychologist and researcher Lucienia highlighted this aspect more in her study.
“In regard to emotional health, they are ones that suffer most from domestic violence, engage in risky situations because of the secularly institutionalized lack of opportunity.
Even with advances for the next generation after years of a flagitious slavery, there are still many consequences that need to be repaired. The study of resilience is an excellent psychological defense against aggression imposed by a contemporary racist society, without mixing it up with insensitivity or conformism, or even with resignation.
This implies that resilience in the lives of these women “should be perceived as a process for growth, positivity, or better yet, of strengthening for stressful situations that will happen,” she affirms.
Source: Meio Norte
Notes
1. Piauí is a state located in northeastern Brazil

segunda-feira, 10 de março de 2014

Ministério Público determina que Youtube exclua vídeos contra religiões afro

Foto Aliança ADA
Foto  Aliança ADA
Rio - A Associação Nacional de Mídia Afro - ANMA, fundada los 2013 com o Objetivo de Valorizar a Cultura afro-brasileira combatendo o preconceito ea Intolerância Religiosa, apresentou denuncia formal Ministério Público Federal ao Rio de Janeiro contra o Youtube POR Conta de 16 vídeos Conteúdo de Opaco o disseminam preconceito, Ódio, Intolerância e discriminação religiosa.  
O procurador Jaime Mitropoulos porque Procuradoria Regional dos Direitos, do Cidadão, reconheceu Que o Youtube, enquanto FERRAMENTA de Comunicação de massa, sistema de Responsabilidade sobre O conteudo vídeos postados DOS. Desta forma, elemento justificou a Intervenção fazer Ministério Público Federal no Caso, alegando o Opaco TEM O Estado de Dever Proteger a Honra e como consciências Religiosas agredidas Pelo de uso abusivo da Liberdade Expressão e de Culto, preservando ASSIM o Equilíbrio social.
A Decisão do Dr. Jaime Mitropoulos, menciona Opaco OS Vídeos TEM "... o Nitido Propósito de" demonizar "como religiosos Opaco Como figuram Alvos deusas Ataques, e Evidencia-se a necessidade de coibir a Divulgação deusas Conteúdos, Pois é Poder Público do Dever Medidas de para Fazer adotar necessárias inclusive cessar a Difusão de proposições, Imagens UO Opaco Abordagens exponham Pessoa AO Grupo UO odio e uma discriminação POR MOTIVOS fundados nd religiosidade " . E ainda: Opaco "... Ataques OS disparados ofendem AO povo brasileiro Como afazeres para, Visto Que OS Valores Democráticos Localidade: Não pertencem a comer UO AQUELE segmento Religioso tao-somente, mas sim a Toda Sociedade ".    
Desta forma, los decisão inedita, a Empresa administra Que o Youtube FOI notificada a retirar (na quarta-feira jornal Última) Vídeos OS citados nd decisão, par evitar violações AOS Humanos Direitos. A notificação mencionou AINDA uma necessidade fazer Youtube Manter UMA Fiscalização permanente a Respeito fazer Conteúdos veiculados Que da configuram crimes, parágrafo Que o Caso nao se repita.  
 Com Informations porque ANMA

Racismo no Ponto Frio do Plaza-Niterói: O dia da Mulher de uma Negra que luta por seus direitos

POR marcos Romão
Thayna-frio
Thayna Trindade, da Jovem Mulher Negra de 25 anos, Mãe de hum Bebê com poucos Meses de idade, FOI discriminada racialmente nenhum dia 26.02, POR para vendedor porque Loja Ponto Frio, No Shopping Plaza de Niterói.
Procurou o gerente porque Loja e Localidade: Não Achou o. Solidariedade de OUTROS funcionarios com SUA dor e Sofrimento also Localidade: Não encontrou. Para passante Opaco assistira uma situacao racista Opaco vivia, ofereceu à Ajuda Thayna, moradora do Rio Opaco passeava los Niterói.
Como Localidade: Não conhecia bem à Cidade, uma Pessoa Que se prontificara uma Testemunha de água, um acompanhou Ate a 76 ª Delegacia de Polícia e Opaco Como tinha voltar AO Trabalho, deixou SEUS Dados Pessoais e Endereço para O Registro de Ocorrencias.
Bem delegacia um parágrafo encaminharam uma DEAM (Delegacia da Mulheres), Onde FOI Muito Bem Conforme relatou nn Atendida, POIs ASSIM Que começou a CONTAR o Que acontecera, TODAS SUAS como Forcas minaram e desabou los choro AO lembrar uma humilhação Opaco Passara e POR Localidade: Não Recebido ter nenhum socorro de QUALQUÉR Funcionário da Loja Ponto Frio, Presente na Hora de Agressão. "Riram AINDA Alguns, relatou".
MESMO na Boca do carnaval, Thayna Localidade: Não fez por Menos, procurou OS Órgãos competentes e amigos do Movimento Negro Que se prestaram à Ajuda-la. E Botou a boca no trombone, POIs Como dizia uma ordem de Cada, "Isto É Localidade: Não PODE POR ISSO MESMO Ficar. Tá Todo Dia acontecendo e como PESSOAS discriminadas preferem deixar para la".
O Processo ESTA AndAndo ea delegacia JÁ intimou a Gerencia porque Ponto Frio a apresentar o nomo fazer Suspeito de para acareação.
Ao monitorar como Redes sociais, o Setor de Comunicação, pois o Ponto Frio de São Paulo soube fazer Caso e Entrou los Contato com ELA, parágrafo Que tivesse UMA reuniao Que Aconteceu Hoje, Sábado, 8 de março, O Dia Internacional da Mulher, QUANDO a Gerencia porque Região de Niterói e São Gonçalo Iria LHe é o Conhecimento providências, Sendo Que estavam Tomadas contra o Funcionário, parágrafo QUEM Thayna Trindade Pede a demissão.
Nesta reuniao com o gerente regional de ALÉM compareceram torturante do Advogado de Thayna, o Dr. Bruno Alves, Representantes de Jovens ativistas negras do Rio ea Equipe porque Ceppir-Niterói, also estiveram presentes PESSOAS da Cidade Que vieram demonstrar SUA Solidariedade contra o racismo.
Para desagrado fazer Grupo, Nao a Gerencia estava PREPARADA parágrafo receber Thayna e SUA comitiva solidária, atendidos POIs FORAM em Pé no Meio da loja, POR UMA Falta de sala privada. O gerente also Localidade: Não Informado fóruns POR São Paulo, that um Presença de Thayna era para Ouvir de pessoalmente ao Representante porque Ponto Frio local, sobre Opaco como providências estavam Sendo Tomadas Pela Empresa los Relação AO Caso, telefones Conforme havia Sido POR Combinado, um com deixando soria de Comunicação los São Paulo. Equivocadamente o gerente pedira regional, Opaco ELA fizesse ao relato à Mão fazer that that parágrafo DEPOIS de ocorrera encaminhada AO Jurídico Setor, Ponto Frio pudesse representa uma RESPOSTA UMA.
DEPOIS de UMA DISCUSSÃO Pequena, como Duvidas FORAM Sanada e Thayna eng LHe a Prazo ATÉ sexta feira, 14:03, parágrafo Que Ponto Frio um Desse Respostas como SUAS Demandas Independente do Processo judicial, los Opaco São Resumo:
Apuração interna dos Fatos.
Nome é Medidas contra S Tomadas autor fazer racismo.
Informaçao sobre Treinamento funcionarios de Medidas Opaco e parágrafo Que Serao Tomadas Casos humilhantes Como o Opaco Localidade: Não se Aconteceu com ELA e repitam Alem do Fato.
Treinamento especial parágrafo OS OUTROS Opaco Localidade: Não LHE funcionarios prestaram socorro, apesar de Terem Sido testemunhas porque Agressão racista Opaco sofreu golos.
Ficou also Acordado com uma Gerencia regional para uma água Realizado Encontro los Outro Ambiente, EM Que Sera apresentado e foi por elas com um Ceppir-Niterói, advogados e ativistas contra o racismo ao plano de para Opaco uma Loja do Ponto Frio Plaza desde Funcionários milho tenha negros e Opaco los Todas como Lojas SEJA Feito parágrafo Opaco NAO para Treinamento especial ocorram caos Como Estes e Caso ocorram, tenham ao plano de atendimento Imediato à vitima de racismo.
No Meio da reuniao also compareceu o administrador do Shopping Plaza Niterói, COM QUEM OS Representantes porque Coordenação de Igualdade Racial de Niterói, Juntos COM Negros da Cidade, ativistas aproveitaram parágrafo UMA marcar reuniao, parágrafo TRATAR de dos Casos Racismo sem compras, Opaco Localidade: Não São levados como delegacias e se parágrafo Pensar conjuntamente, EM Como se parágrafo Opaco Mais incentivar negros trabalhem NAS Lojas do Plaza Niterói, ALÉM PREPARACAO de parágrafo Opaco de Todos os Treinamentos funcionarios fazer compras saibam Como TRATAR OS Clientes de Pele negra.
sam 3266
Chegou a se-ª ordem Momento de descontração Geral, QUANDO OS presentes puderam constatar, o rebuliço causado Entre OS seguranças, com a Presença daquele Grupo de Mulheres Negras Compacto, acompanhadas de alguns Homens also de negra pele, um carrinho de caminharem pelo, POIs Caso Fossem acusados ​​de estarem Fazendo a rolezinho, Iria Custar-lhes 10 mil reais POR Cabeça.

sam 3264
O Caso los publicada materia não Globo:
"Bem jornal Última quarta-feira, ao Passeio Pelo Plaza Shopping, EM Niterói, terminou de Maneira frustrada de para uma vendedora Thayna Trindade de 25 anos. Uma Passava Jovem Conta Opaco em Frente à Loja Ponto Frio, no 1 º piso do centro comercial, when a dos Funcionários começou a Fazer comentários Dar preconceituosos sobre Seu Cabelo.
According to Thayna, O Homem Que se identificou apenas Como Tito, apontou parágrafo ELA e Disse "tinha Que Ser Patrocínio porque Assolan!" Referindo-se AO Seu Cabelo Estilo black power. Ele. AINDA térios Feito para Stolen Namorados, Passando o dedo sobre como as Mãos Costas, EM menção a cor de Pelé de Thayna.
DEPOIS dos comentários Dar, um Jovem Conta Que OUTROS funcionarios riram porque situacao. Ela procurou uma Loja da Gerencia mas SEM Sucesso. Uma Testemunha com ELA FOI Ate a Delegacia de Atendimento à Mulher de Niterói, Onde o Caso Como FOI Registrado "injúria POR preconceito". O Caso also was encaminhado parágrafo Coordenadoria Especial de Politicas de Promoção da Igualdade Racial Cidade lá.
Questionada sobre o Opaco térios levado o Homem um sistema operacional Fazer comentários Dar preconceitusos, Thayna nao tem Duvidas.
- Racismo, o Opaco Mais Seria? Eu saio POR aí rindo alguem de Opaco usar para Cabelo Longo, liso, comeu como costas? Localidade: Não né? Faltam AINDA debates serios sobre racismo Aqui no Brasil. O Povo ESTA acostumado a fechar OS Olhos parágrafo Tudo, ESSA História de um 'Povo miscigenado e feliz' é mentira! Racismo Velado, é Isso Que Aqui Acontece. Basta comparar como Políticas Públicas Opaco acontecem nn ESTADOS UNIDOS EO Que E Feito Aqui - denuncia um Jovem ".

Hospital está sem água e tem corte de alimento e material

O Hospital Regional de Bom Jesus (a 632 km de Teresina) Túmulo vive uma Crise Financeira. Feira de sexta, o hospital "Manoel de Sousa Santos," Que Atende 28 municípios do Sul do Estado, esta sem agua, Sendo abastecido carros-pipa com.


SEM Cirurgias materiais Pará, patients reclamam OS Como Falta de atendimentos. O Diretor do Hospital de Bom Jesus, Gladstone Médico Dantas da Fonseca Disse Que ESTA acontecendo Teresina Tentando UMA Secretaria Estadual de Saúde Solução Junto a

O Que o Médico informou hospitalar ESTA Este de materiais de Limpeza, com Falta de Medicamentos, JA Opaco OS fornecedores de Alimentos e Remédios suspenderam atendimentos OS.  

"Que Localidade Localidade:. Localidade: Não E Ressalto paragrafo Problema de Gestão, mas de Crise Financeiro O hospital, ESTA ESTAMOS inadimplente e tendão Indo Boa Vontade resolver o problema" Disse Gladstone Fonseca, fez o Opaco JÁ Prefeito de Bom Jesus.

Ele. Que explicou a Raio hospitalar Caiu nenhum, bomba de agua e Opaco queimou um Abastecimento FAZ Fazer local, Alem de Quatro Computadores ea Máquina de Esterilização.

Sem ambulancia
Todas AMBULANCIAS Como Fazer o Hospital Estação Quebradas. Informou o Diretor. Ele. Disse Que Secretaria Estadual de Saúde encaminhou oficio pedindo UMA Providência urgente comer conserto UMA Quatro AMBULANCIAS. Pará dos Veículos JÁ TEM milho de hum Milhão de quilometragem e ESTA sucateada.
Gladstone Fonseca ressaltou Que from parágrafos S Governo Precisa repassa Aumentar OS atender Como Fazer Necessidades Opaco E hospitalar Referência Sem pipa Sul do Estado.

RESPOSTA
A Secretaria de Saúde divulgou nota sobre o UMA seguinte ASSUNTO:

O Governador Wilson Martins de Saúde EO SECRETARIO, Ernani Maia, Nunca deixaram de atender a solicitações do Hospital Manoel de Sousa Santos, elasticas, Ó de Recursos Para O repasse Hotele de Seguro de Dívidas dentre gestões Passadas. A Unidades de Saúde, inclusive, FOI duplicada e Equipada. A Superintência de Saúde da Assistência à Sesapi atesta Que o Problema do Hospital Sofre UMA serio de Gestão. A Atual Direção Chegou AO Ponto de Nao acompanhar Como Duas Ações de da Força Estadual da Saúde realizadas no local. A Sesapi lamenta a Formato Como FOI o ASSUNTO colocado e Reitera Que Sera O Caso resolvido Pelo Governador.
O piscar Yala Sena
yalasena@cidadeverde.com

Em 03/10/14, 16:10 

Para Reflexão


Discutir o feminismo negro Dentro
do Movimento feminista Hoje em
dia continua Sendo UMA Tarefa
Difícil parágrafo NSA (Mulheres Negras)
POIs Nossas Demandas NEM
semp re reconhecidas sao, UO
Sequer abordadas, Dentro da
DISCUSSÕES do Movimento. Se não
Movimento feminista JÁ É Difícil
, Imagina fóruns DELE! Chegando o 8
de março raramente Somos
reconhecidas Mulheres Que Como
Devem, Como Todas como OUTRAS
, Serem homenageadas dia Nesse,
NAS propagandas apenas vemos
Mulheres Bem Brancas sucedidas
Atrás da SUA Independencia. Onde
o Estação de Mulheres Negras? Localidade: Não
ESTAMOS also nessa Luta?


Ser Mulher Localidade: Não E UMA Só Coisa, ser
Mulher e ter multiplas enfrenta e
Realidades distintas. Entao se o 8
de março Localidade: Não E dia da somente 
Mulher branca o Porque AINDA Todas
Mulheres como São Representadas
Pela Figura da Mulher branca
Padrão? 


Chegou a Hora de Opaco lembrar 8
de Marco e dia also a 
Mulheres Negras.